top of page
Post: Blog2_Post
  • Foto do escritorAdriana Ferreira

Reconhecimentos Literários: Academia Brasileira de Letras — Parte II

Atualizado: 21 de dez. de 2023

Fazer parte da Academia Brasileira de Letras e participar do seleto grupo de intelectuais, que se autointitulam imortais, é um importante reconhecimento literário dado pelo conjunto da obra e carreira de escritores nacionais. E na segunda parte do texto sobre a ABL, vamos entender melhor as formas de atuação da instituição.

banner-raizes-reconhecimentos-literarios-academia-brasileira-de-letras-parte-ii
Membros ABL, foto de 25/03/22 | Reprodução Internet

Conheça aqui o funcionamento da Academia Brasileira de Letras, mais um Reconhecimento Literário do Brasil.


Com o propósito de cultivar a língua e literatura nacional, a Academia Brasileira de Letras é um ambiente que visa estimular e promover trocas intelectuais, através de eventos, conferências e uma série de publicações. Além de preservar acervos com a memória da literatura brasileira, produzida por tantos acadêmicos que já passaram pela instituição.


Mas, na prática, quais as atividades que ela realiza para garantir o propósito de sua existência? Como é possível entrar na ABL e fazer parte desse grupo restrito de intelectuais que buscam preservar nossa língua e literatura? É o que vamos apresentar na segunda parte do texto sobre a Academia Brasileira de Letras.

 

Esse texto foi construído com base em pesquisa realizada no site da ABL, notícias, reportagens e conteúdos de outros portais, sobre a instituição e seus membros.

E pretende dar um panorama da Academia Brasileira de Letras, de forma clara e acessível, para quem gosta de literatura e quer aprender mais sobre a principal instituição do setor.


Para facilitar sua navegação pelo texto, deixo aqui os tópicos abordados com link de acesso rápido:

Devido à extensão do conteúdo, optei por dividi-lo em duas partes. Confira a primeira parte aqui.

 

Escolha dos membros


A Academia Brasileira de Letras é formada por 40 acadêmicos, que se tornam membros perpétuos da instituição, ou seja, só deixam de pertencer à academia após sua morte. Quando um dos membros falece, sua cadeira é divulgada como vaga na chamada Sessão da Saudade e quem tiver interesse e atender aos requisitos tem 60 dias para se candidatar.

Há um ritual de candidatura, descrito no estatuto, que dentre outras coisas envolve o envio de uma carta ao presidente da ABL e a entrega de um exemplar de sua obra literária aos acadêmicos. Passados os dois meses dedicados às candidaturas, ocorre a eleição entre os acadêmicos para a escolha do novo membro. Para entrar na academia, é preciso receber maioria absoluta dos votos, que ao final da sessão são queimados em um caldeirão.


Segundo o estatuto, para se candidatar é necessário ser: "brasileiro nato e ter publicado, em qualquer gênero da literatura, obras de reconhecido mérito ou, fora desses gêneros, livros de valor literário"Entretanto, a "panelinha"como informalmente é conhecido o grupo de acadêmicos exigem de novos membros rituais não descritos em estatuto.


Trata-se de uma politicagem prévia que deve ser feita, conquistar, dentre os atuais acadêmicos, um padrinho para a candidatura, frequentar os eventos promovidos pela ABL, além de promover jantares e encontros sociais com os intelectuais. Especula-se que o candidato, deve investir bastante tempo e dinheiro nessas ações, a fim de conquistar votos e somente assim, quem sabe ter sucesso em sua candidatura. Quem optar por não seguir esse ritual e contar apenas com a análise da academia sobre sua obra literária, infelizmente, não tem chances com o seleto grupo.


Portanto, fazer parte da ABL não se trata apenas de ter notável obra literária e ter contribuído para a cultura do país. Mas também,se relacionar com os membros e pertencer ao seu círculo social, mantendo bons relacionamentos. Fato que pode esclarecer, por quê ao longo de sua história a academia recebeu como membro políticos, diplomatas, médicos e advogados, ou seja, personalidades que não são escritores nem tiveram contribuições com a literatura ou a língua portuguesa.

Aqui listo algumas das principais personalidades que passaram pela academia, devido sua relevância literária. E também os membros mais curiosos a serem aceitos, sob justificativas bastante questionáveis, como é o caso do cirurgião plástico Ivo Pitanguy…


Ritual de posse


Escolhido o novo membro, inicia-se o processo para o tão esperado dia da posse, que como tudo na ABL segue diversos rituais. A data para o grande dia é escolhida de comum acordo entre o novo acadêmico e o membro escolhido para recepcioná-lo.


Um dos itens mais especiais que envolve a cerimônia é o famoso fardão. O traje que os acadêmicos vestem nas cerimônias oficiais é composto por calça e blazer na cor verde escuro com ramos de café bordados com fios de ouro. Complementam a veste um chapéu de veludo preto com plumas brancas e uma espada. Atualmente, esse figurino especial custa por volta de R $70 mil reais e é uma tradição que o Governo do Estado natal do acadêmico se ofereça para arcar com os custos.


A solenidade inicia no Salão Francês, do edifício Petit Trianon, onde o Acadêmico eleito fica sozinho, em um momento de reflexão, antes da cerimônia de posse. Na sequência, os acadêmicos escolhidos buscam o novo membro e o conduzem até o Salão Nobre, que fica no mesmo prédio, onde será realizada a posse na Cadeira para a qual foi eleito.


Como a ABL e seus membros se mantém financeiramente


Por ser uma instituição privada, a ABL não recebe nenhum tipo de verba ou benefícios de qualquer nível do governo. A renda da instituição vem de aluguéis de salas no edifício Palácio Austregésilo de Athayde e outros imóveis pelo Rio de Janeiro, além de aplicações financeiras.


Já os acadêmicos, membros da ABL, recebem um salário fixo mais valores extras por participações em eventos da ABL. Os valores, entretanto, são sigilosos sendo a última informação divulgada sobre o tema datada de 2010. Nela consta que o salário fixo era de R $3.000 reais por mês, a participação em eventos da casa, como o chá que ocorre toda terça-feira, ganha R $800 e a participação nas sessões que ocorrem toda quinta- feira, garante mais R $1.000.


Vale citar também que por fazer parte da Academia Brasileira de Letras, o acadêmico adquire status e reconhecimento, o que o permite aumentar o seu cachê para trabalhos independentes. Participação em eventos, palestras, seminários, exposições, entre outros trabalhos realizados pelo acadêmico paralelamente a suas atividades junto a academia são mais valorizadas.



Para que a ABL serve?


A instituição é bastante atuante na produção e publicação de conteúdos literários e acadêmicos, além da promoção de eventos que permitam discussões e reflexões acerca da literatura, língua portuguesa e cultura. Ela também realiza alguns serviços para a comunidade e mantém acervos e bibliotecas, que não só preservam a memória, como também atendem acadêmicos e a comunidade.


Algumas das atividades e serviços realizados pela ABL


Programação cultural variada, com conferências, exposições, mesas redondas, leituras dramatizadas, seminários, eventos de música e teatro. Diversos dos eventos são híbridos, podendo ser acompanhados de qualquer lugar, acompanhe aqui a programação dos eventos promovidos pela ABL: https://www.academia.org.br/eventos


Serviços disponibilizados pelo site da ABL:

- Guia Volp (Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa) - A ABL edita o guia com a grafia correta de todas as palavras existentes no nosso vocabulário. Serve para consultas em caso de dúvidas sobre a existência e/ou grafia de alguma palavra.

- Novas palavras - A ABL monitora e divulga semanalmente, pelo site e redes sociais, uma palavra ou expressão que está sendo mais usada na língua portuguesa. Seja por um neologismo, um empréstimo linguístico ou até mesmo alguma palavra que já existe, mas que passou a ser utilizada com um novo sentido. O objetivo dessa ação é enriquecer o vocabulário, desenvolver a capacidade de comunicação e compreensão de novos contextos.

- Artigos escritos pelos acadêmicos, em suas colunas em jornais ou revistas, sobre temas diversos e atuais, são também reproduzidos no site da instituição.


Bibliotecas mantidas pela ABL:

- Biblioteca Acadêmica Lúcio de Mendonça, que existe desde a fundação da ABL e atende acadêmicos e pesquisadores com acervo de mais de 20 mil livros. Além de um acervo museológico com móveis de época, esculturas e quadros.

- Biblioteca Rodolfo Garcia, inaugurada em 2005, conta com mais de 90 mil obras, sobre filosofia, linguística, literatura, filologia, história e ciências humanas.


Acervo museológico e arquivístico com documentos, fotografias, periódicos e arquivos pessoais dos escritores, além de móveis históricos e obras de arte Consulta ao Acervo https://www.academia.org.br/acervos


Sala Machado de Assis, inaugurada em 2001, destinada à pesquisa e difusão do universo machadiano


Convênio de cooperação científica e cultural, firmado em 2007, com a Academia della Crusca, a mais antiga instituição europeia de estudos linguísticos.


Assinatura do novo acordo ortográfico, em 2008, data que também marcou o centenário da morte de Machado de Assis.


Acordo de cooperação entre a ABL e a câmara de deputados, firmado em 2019, inicialmente para coedições. A parceria resultou em novos acordos, para que juntos promovam a cultura nacional e ações de valorização da leitura.


Revista Brasileira da ABL, publicação literária fundada em 1855 passou por diversas fases, com mudanças em sua direção e editorial. É possivel consultar uma linha do tempo da publicação aqui. Desde 2018 a publicação está sob a direção de Cícero Sandroni, apresentando resenhas, ensaios e ficção. No site da ABL é possível consultar as edições a partir de 2005, em pdf.


Edição e coedições de publicações acadêmicas, como também os Anais da ABL e os Discursos dos Acadêmicos. As publicações podem ser encontradas na Biblioteca de Cultura Nacional e algumas obras podem também ser consultadas pelo site da ABL.


Produção de Podcasts sobre diversos temas do universo e mercado literário. Dentre eles: "Pensando o novo normal""Como e por que ler os clássicos", "Literatura Brasileira no Mundo", "esafios da Cultura na Pandemia" entre outros. Veja a lista completa aqui.


ABL Atualmente

Desde o início da pandemia, em 2020, a ABL fechou suas portas transferindo todos os seus eventos e sessões para o formato online.

O retorno das atividades presenciais aconteceu em Março deste ano, para a cerimônia de posse da nova diretoria e a premiação de Ruy Castro. Entretando, grande parte da agenda cultural da instituição permanece em formato híbirdo.

Você pode companhar novidades da ABL pelas redes rociais: Instagram, Canal no Youtube,Twitter. Ou pelo site: https://www.academia.org.br.

Lembrando que devido a extensão do conteúdo, optei por dividi-lo em duas partes. Confira a primeira parte aqui.


 
foto-escritora-dri-ferreira-blog-raizes

Obrigada por ler! 🤓

Espero que tenha gostado e se inspirado a quem sabe se inscrever na premiação! Para mais textos como esse, continue lendo a série Reconhecimentos Literários.

📨 Se quiser acompanhar as novidades do blog, se inscreva em nossa newsletter, é grátis.

🔗 Se quiser compartilhar esse texto com amigos, use os botões abaixo e leve-o para sua rede social preferida.

Nos vemos no próximo texto 🥰



45 visualizações0 comentário
bottom of page